Jornalismo Opinativo – 4o ano (2018)

Programa da disciplina ministrada pela professora Michelle Prazeres, no quarto ano de Graduação em Jornalismo.

DISCIPLINA: Jornalismo Opinativo

72 HORAS-AULA

TURMA/HORÁRIO: 4º ano / manhã e noite

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Michelle Prazeres

 

CRONOGRAMA DE AULAS – 2018

 

DATA AULA CONTEÚDO PREVISTO / LEITURAS INDICADAS / ATIVIDADES/AVALIAÇÕES
06/2 01 Apresentação
02 Planejamento compartilhado do curso
20/2 03 Devolutivas do planejamento; apresentação da metodologia da disciplina; avaliações, etc.
04 DEBATE: Jornalismo, opinião e lugar de fala

 

“Jornalista tem opinião” Leandro Fortes https://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/outras-palavras/a-grande-imprensa-o-jornalista-e-as-redes-sociais/

 

“O que é ‘lugar de fala’ e como ele é aplicado no debate público”

Matheus Moreira e Tatiana Dias

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/01/15/O-que-%C3%A9-%E2%80%98lugar-de-fala%E2%80%99-e-como-ele-%C3%A9-aplicado-no-debate-p%C3%BAblico

27/2 05 Lugar de fala: introdução conceitual
06 Debate.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? São Paulo: Letramento, 2017.

 

Texto alternativo / complementar: Lugares de Fala: um conceito para abordar o segmento popular da grande imprensa Marcia Franz Amaral

http://www.contracampo.uff.br/index.php/revista/article/view/561/328

06/3 07 EXERCÍCIO TEMA 1 Avaliação 1 LAB

Lugar de fala, jornalismo e opinião

08
13/3 09 Socioreferenciamento: uma metodologia para mapear lugares de fala e campos de origem.
10 Campos e posições. Leitura e debate.

 

PRAZERES, Michelle

Sociorreferenciamento: uma ferramenta teórico-metodológica para analisar as relações entre campos, partindo das interações entre a educação e as tecnologias. Disponível em: http://www.casperimental.com.br/wp-content/uploads/2018/02/Socioreferenciamento.pdf

 

BOURDIEU, Pierre. Poder simbólico. http://lpeqi.quimica.ufg.br/up/426/o/BOURDIEU__Pierre._O_poder_simbólico.pdf

20/3 11 O que é ideologia? Aula expositiva, leitura e debate.

 

CHAUI, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1984.

 

Discurso, ideologia e persuasão no jornalismo opinativo

Maria Angélica Seabra Rodrigues Martins

http://www.gel.org.br/estudoslinguisticos/volumes/38/EL_V38N3_39.pdf

12 Aula expositiva e debate. Definição do TEMA 2.
27/3 13 EXERCÍCIO tema 2 – Ideologia, lugar de fala, posição e opinião. Avaliação 2 LAB
14
03/4 15 Gêneros opinativos. O paradigma opinião x informação.

Jornalismo não se divide em Opinião X Informação
Jornalismo pode ser ativista?

Manuel Carlos Chaparro
http://oxisdaquestao.provisorio.ws/wp-content/uploads/2016/05/Jornalismo-não-se-divide-em-Opinião-e-Informação.pdf

16 Debate.
10/4 17 EXERCÍCIO: trazer um texto.
Analisar o texto e sua construção.
Que elementos já estudados estão presentes?
Informação, opinião, persuasão, construção de discurso, ideologia… Avaliação 3 LAB
18
17/4 19 Trazer os exercícios. Revisões. Debate. Costuras.
20
24/4 21 PROVAS Avaliação 4 LAB
22
08/5

 

23 Devolutivas do bimestre anterior.
24 Revisão e reconstrução do próximo bimestre.
15/5

 

25 ARTIGO. O que é? Análise de artigos.

BELTRÃO, Luis. Jornalismo opinativo. Porto Alegre (RS), Editora Sulina, 1980.
MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª edição revista. Petrópolis (RJ), 1994.

26 Que elementos estão presentes? Como podemos fazer um?
22/5 27 EXERCÍCIO: Artigo. Avaliação 5 LAB
28
29/5 29 Coluna. O que é? Análise de peças escolhidas pelos alunos.
30 Que elementos estão presentes? Como podemos fazer um?

 

BELTRÃO, Luis. Jornalismo opinativo. Porto Alegre (RS), Editora Sulina, 1980.
MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª edição revista. Petrópolis (RJ), 1994.

05/6 31 EXERCÍCIO: Coluna. Avaliação 6 LAB
32 >> Cada aluno(a) escolhe o trabalho sobre o qual quer receber a devolutiva.
12/6 33 Devolutiva individual dos artigos e colunas – cada aluno(a) escolhe o trabalho sobre o qual quer receber a devolutiva.
34
19/6 35 Análise dos textos dos colegas às cegas.  Avaliação 7 LAB

1) Trazer um texto de opinião sobre um tema e entregar.

2) Analisar o texto do colega com base em categorias apresentadas pela professora.

36
26/6 37 Vista de Provas / devolutivas.
38
férias
07/8 39 Editorial. O que é? Análise de peças escolhidas pelos alunos.
40 Que elementos estão presentes? Como podemos fazer um?

 

BELTRÃO, Luis. Jornalismo opinativo. Porto Alegre (RS), Editora Sulina, 1980.
MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª edição revista. Petrópolis (RJ), 1994.

14/8 41 EXERCÍCIO: Roda com editorialista (prof. Marcos Guterman?). Exercício com base no debate.  Avaliação 1
42
21/8 43 Crônica. O que é? Análise de peças escolhidas pelos alunos. Que elementos estão presentes? Como podemos fazer um?

 

Resenha. O que é? Análise de peças escolhidas pelos alunos. Que elementos estão presentes? Como podemos fazer uma?

 

BELTRÃO, Luis. Jornalismo opinativo. Porto Alegre (RS), Editora Sulina, 1980.

MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª edição revista. Petrópolis (RJ), 1994.

44
28/8 45 Semana da Comunicação Cásper Líbero
46
04/9 47 EXERCÍCIO: Crônica ou Resenha. Avaliação 2 LAB
48
11/9 49 Charge ou caricatura.

 

BELTRÃO, Luis. Jornalismo opinativo. Porto Alegre (RS), Editora Sulina, 1980.
MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª edição revista. Petrópolis (RJ), 1994.

50
18/9 51 Semana de provas. EXERCÍCIO: Charge ou caricatura. Projeto junto com revista.  Avaliação 3 LAB
52
25/9 53 Teorias da opinião pública. Legitimidade, visibilidade, autoridade. Influência.

Espiral do silêncio, opinião pública e representação da mulher na mídia
Daniele Ferreira Seridório Laís Modelli Rodrigues
http://www.casperimental.com.br/wp-content/uploads/2018/02/espiraldosilencio.pdf

54 Debate: tema para avaliação 4.
02/10 55 Avaliação 4 LAB
56
09/10 57 Outros gêneros. Opinião multimídia. Influenciadores digitais.

 

Revista Communicare Especial 70 anos Cásper Líbero

https://casperlibero.edu.br/communicare-17-edicao-especial-de-70-anos-da-faculdade-casper-libero/

58
16/10 59 EXERCÍCIO: Opinião e multimídia. Avaliação 5 LAB
60
23/10 61 Excesso de opinião no digital. “Bolhas sociais”. Fakenews.
62
30/10 63 EXERCÍCIO. Textão. Avaliação 6 LAB
64 >> Alunos escolhem avaliação sobre a qual querem devolutiva individual.
06/11 65 Opinião relacionada ao tema de TCC. Reconhecendo e exercitando o lugar de fala próprio. Enquanto turma faz exercício, professora dá devolutiva de avaliação escolhida.
66
13/11 67 EXERCÍCIO: editorial de TCC. Avaliação 7 LAB
68 Pode ser apenas entrega.
27/11 69 Avaliação do curso
70
04/12 71 Semana de Provas
72 Comentários dos editoriais de TCC.
11/12 Atendimento, orientação de devolutivas.
18/12 Exame final

AVALIAÇÕES

PRIMEIRO SEMESTRE

06/3 EXERCÍCIO TEMA 1 Avaliação 1 Lugar de fala, jornalismo e opinião Entrega vale 1
27/3 EXERCÍCIO tema 2 – Ideologia, lugar de fala, posição e opinião.
Avaliação 2 Entrega vale 1
10/4 EXERCÍCIO: trazer um texto.  Analisar o texto e sua construção. Que elementos já estudados estão presentes? Informação, opinião, persuasão, construção de discurso, ideologia… Avaliação 3 Entrega vale 1
24/4 PROVAS Avaliação 4 Vale até 7,0
22/5 EXERCÍCIO: Artigo. Avaliação 5 Entrega vale 1
05/6 EXERCÍCIO: Coluna. Avaliação 6 Entrega vale 1
19/6 Análise dos textos anônimos dos colegas.  Avaliação 7 Vale até 8,0
1) Trazer um texto de opinião sobre um tema e entregar.
2) Analisar o texto do colega com base em categorias apresentadas pela professora.

SEGUNDO SEMESTRE

14/8 EXERCÍCIO: Roda com editorialista (prof. Marcos Guterman?). Exercício com base no debate.  Avaliação 1 Entrega vale 1
04/9 EXERCÍCIO: Crônica ou resenha. Avaliação 2  Entrega vale 1
18/9 Semana de provas. EXERCÍCIO:  Charge ou caricatura. Projeto junto com revista. Avaliação 3 Vale até 8,0
02/10 EXERCÍCIO: tema de debate escolhido em sala. Avaliação 4 Entrega vale 1
16/10 EXERCÍCIO: Opinião e multimídia. Avaliação 5 Entrega vale 1
30/10 EXERCÍCIO. Textão. Avaliação 6 Entrega vale 1
13/11 EXERCÍCIO: editorial de TCC. Avaliação 7  Vale até 7,0

BIBLIOGRAFIAS

 

BÁSICA

 

BELTRÃO, Luis. Jornalismo opinativo. Porto Alegre (RS), Editora Sulina, 1980.

CHAUI, Marilena. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1984.

MELO, José Marques de. A opinião no jornalismo brasileiro. 2ª edição revista. Petrópolis (RJ), 1994.

REVISTA Communicare Influenciadores Digitais Volume 17 – Edição especial de 70 anos da Faculdade Cásper Líbero Revista semestral do Centro Interdisciplinar de Pesquisa da Faculdade Cásper Líbero – ISSN 1676-3475

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala? São Paulo: Letramento, 2017.

 

COMPLEMENTAR

 

ARNT, Héris. A influência da literatura no jornalismo – o folhetim e a crônica. Rio de Janeiro (RJ), E-papers, 2001.

BAHIA, Juarez. Jornal, história e técnica – as técnicas do jornalismo. 4ª edição.Vol. 02. São Paulo (SP), Editora Ática, 1990.

BENDER, Flora & LAURITO, Ilka. Crônica – história, teoria e prática. Coleção Margens do Texto. São Paulo (SP), Editora Scipione, 1993.

BILL, Kovach. ROSENSTIEL, Tom. Os elementos do jornalismo: o que os jornalistas devem saber e o público exigir. São Paulo: Geração, 2004

BOAS, Sérgio Vilas. O estilo magazine – o texto em revista. São Paulo (SP), Summus Editorial, 1996.

CANDIDO, Antonio (org.) A crônica – o gênero, sua fixação e suas transformações no Brasil. Rio de Janeiro (RJ) e Campinas (SP), Fundação Casa de Rui Barbosa e Editora da Unicamp, 1992.

CASTRO, Gustavo de & GALENO, Alex. Jornalismo e literatura – a sedução da palavra. Coleção Ensaios Transversais. São Paulo (SP), Escrituras Editora, 2002.

Faria, José Eduardo. Jornalismo e participação / José Eduardo Faria. São Paulo : Perspectiva, 1979.

FAULSTICH, Enilde L. de J. Como ler, entender e redigir um texto. 6ª edição. Petrópolis (RJ), Vozes, 1987.

FERREIRA, Carlos Rogé. Literatura e jornalismo, práticas políticas. Coleção Ensaios de Cultura, volume 24. São Paulo (SP), Edusp, 2003.

FLORES, Onici. A leitura da Charge. Canoas: Ulbra, 2002.

GARCIA, Othon Moacir. Comunicação em prosa moderna. 15ª edição. Rio de Janeiro (RJ), Editora da Fundação Getúlio Vargas, 1992.

GUIMARÃES, Elisa. A articulação do texto. 2ª edição. Série Princípios. São Paulo (SP), Ática, 1992.

HARRIS, Chris. Faça o seu próprio jornal. Campinas: Papirus, 2002.

JOBIM, Danton. Espírito do jornalismo. Coleção Clássicos do Jornalismo Brasileiro. São Paulo (SP), Edusp, 1992.

LAGE, Nilson. Linguagem jornalística. 2ª edição. Série Princípios. São Paulo (SP), Ática, 1986.

LIMA, Alceu Amoroso. O jornalismo como gênero literário. Coleção Clássicos do Jornalismo Brasileiro. São Paulo (SP), Edusp, 1990.

LIMA, Edvaldo Pereira. Páginas ampliadas – o livro-reportagem como extensão do jornalismo e da literatura. Barueri (SP), Editora Manole, 2004.

MEDINA, Cremilda de Araújo. Notícia, um produto à venda – o jornalismo na sociedade urbana e industrial. 3ª edição. São Paulo (SP), Summus, 1988.

MENDES, Lucas. Conexão Manhattan: crônicas da Big Apple. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

MOISÉS, Massaud. A criação literária – prosa II. 15ª edição revista e atualizada. São Paulo (SP), Cultrix, 1990.

PAULINO, Graça. Tipos de textos, modos de leitura. Belo Horizonte: Formato, 2001.

PENA, Felipe. Teoria do jornalismo. São Paulo (SP), Editora Contexto, 2005.

PORTO, Sérgio Dayrell (org.). O Jornal: da forma ao sentido. Brasília: Ed. UNB, 2002.

SÁ, Jorge de. A crônica. 6ª edição. Série Princípios. São Paulo (SP), Ática, 1999.

SERAFINI, Maria Teresa. Como escrever textos. 5ª edição.São Paulo (SP), Editora Globo, 1992.

THOMPSON, John B. Ideologia e cultura moderna – teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa. Tradução: Grupo de Estudos sobre Ideologia, Comunicação e Representações Sociais da Pós-Graduação do Instituto de Psicologia da PUCRS. Petrópolis (RJ), Vozes, 1995.

TODOROV, Tzvetan. Os gêneros do discurso. São Paulo (SP), Martins Fontes, 1980.

VANOYE, Francis. Usos da linguagem – problemas e técnicas na produção oral e escrita. 9ª edição. São Paulo (SP), Martins Fontes, 1993.

 

Outros

 

O que é ‘lugar de fala’ e como ele é aplicado no debate público Matheus Moreira e Tatiana Dias

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/01/15/O-que-é-‘lugar-de-fala’-e-como-ele-é-aplicado-no-debate-público

 

“Jornalista tem opinião” Leandro Fortes https://www.revistaforum.com.br/rodrigovianna/outras-palavras/a-grande-imprensa-o-jornalista-e-as-redes-sociais/

 

PRAZERES, Michelle

Sociorreferenciamento: uma ferramenta teórico-metodológica para analisar as relações entre campos, partindo das interações entre a educação e as tecnologias

SLIDES DAS AULAS

Aula 2: Debate: Jornalista tem opinião?
Aula 3: Lugar de fala

LOUSAS DAS AULAS

Debate sobre lugar de fala 1